Links Úteis
Confidencial

Subscrever Newsletter

Lusofonia

Ramos-Horta não vai apoiar nenhum candidato

Timor-Leste: Segunda volta Presidencial em Abril

Díli - O candidato da FRETILIN, Francisco Lu-Olo Guterres, adversário do
ex-Chefe da Força de Defesa, Taur Matan Ruak, disse que está confiante de que será eleito Presidente na segunda volta das eleições.

O Resultado provisório das Eleições Presidenciais mostra que Francisco Guterres ganhou a maioria dos votos, na primeira volta, seguido de Taur Matan Ruak.

A segunda fase da eleição será realizada em Abril, dado que nenhum candidato ganhou a maioria absoluta.

O Francisco Guterres disse, este Domingo, 18 de Março, que está satisfeito com o resultado da votação e otimista em relação à vitória em Abril.

Embora houvesse alguns pequenos incidentes durante o período de campanha, Francisco Lu-Olo Guterres disse que a eleição foi realizada num ambiente pacífico.

«Em 2007, algumas pessoas foram ameaçadas mas agora existem
condições para cada pessoa exercer o seu direito de voto», referiu.

O candidato da FRETILIN disse ainda que a sua equipa de promoção já estava a trabalhar no sentido de assegurar o apoio de alguns dos candidatos que não vão concorrer à segunda volta.

Francisco Guterres disse respeitar a vontade do povo, de escolher o
candidato que acredita que irá atendê-los melhor.

O candidato independente Taur Matan Ruak felicitou os cidadãos de
Timor-Leste, alertando para votarem pacificamente.

O candidato que se tornar Presidente tem que trabalhar muito para cuidar das pessoas, referiu o ex-Chefe da Força de Defesa.

O Presidente da República, José Ramos-Horta, que foi eliminado desta
corrida presidencial, diz que não irá apoiar publicamente nenhum dos candidatos que irão avançar para a segunda volta, uma vez que
ainda está a servir como Presidente da República.

«O meu voto é apenas um e eu vou dá-lo em época de eleições. Eu ainda sou o Chefe de Estado e, por isso, não devo tomar posições«, referiu José Ramos-Horta.

«A 20 de Maio, quando já não for Presidente, serei livre para manifestar o meu suporte ou para ficar neutro», defendeu o Chefe de Estado.

O Presidente cessante disse que respeita a segunda volta dos candidatos Francisco Guterres e Taur Matan Ruak, por terem lutado pela
independência durante a ocupação indonésia.

José Ramos-Horta disse ainda que aceitou o resultado da eleição e que apoiará o novo Presidente e o novo Governo, quando necessário, pois quer continuar a contribuir para a promoção da paz e da estabilidade no país.

O Chefe de Estado disse que irá consultar o Governo e os órgãos de Estado antes de anunciar a data da segunda fase da votação.

O re-candidato mostrou-se grato ao povo de Timor-Leste, que demonstrou a sua inteligência na Eleição Presidencial de sábado.

A participação foi elevada, apesar da chuva, o chefe de Estado disse que
mostrou pessoas da nação sabia como exercer seus direitos democráticos.

José Ramos-Horta congratulou todos os candidatos que competiram
nas eleições e a todos os partidos políticos que demonstraram a sua maturidade.

«Este processo eleitoral mostra mais uma vez a nossa maturidade política. A nossa democracia já tem raízes profundas», referiu o Presidente cessante aos jornalistas numa conferência de imprensa.

O Chefe de Estado felicitou também os corpos do STAE e da CNE,
que encontrou várias dificuldades mas, segundo ele, executaram as suas funções de forma adequada. A força nacional de polícia, a PNTL, trabalhou bem para garantir a segurança e apoiar os eleitores.

José Ramos-Horta agradeceu ainda à UNMIT e à UNPol pelo seu apoio durante o processo eleitoral.

Inácio Moreira e António Cardozo disseram que não se verificaram muitas falhas no dia da votação mas o STAE não conseguiu manter algumas das promessas que fez aos cidadãos.

Em nome do Parlamento Nacional, o vice-Presidente Vicente Guterres felicitou os eleitores sobre a participação s eleições.

De acordo com Vicente Guterres, houve algumas preocupações mas o importante é que o processo foi bem sucedida e pacífico.

(c) PNN Portuguese News Network

2012-03-19 20:07:10

MAIS ARTIGOS...
  Presidente da UPG acusa comunidade internacional de “ingerência” nos assuntos internos da Guiné-Bissau
  PAIGC convida PR anular Decreto Presidencial que nomeou Baciro Djá
  União Africana preocupada com a “paralisia” na Guiné-Bissau
  Simões Pereira garante que não vai abdicar dos seus direitos eleitorais
  Presidente da República justifica derrube do Governo de Domingos Simões Pereira
  “República” continua aguardar pela comunicação do Presidente da República
  Bureau Político do PAIGC ameaça desencadear acções para destituir Presidente da República
  Guiné-Bissau: Governo denuncia intenção deliberada de provocar crise para justificar sua destituição
  Nações Unidas qualifica de “menos clara e preocupante” a situação política Guiné-Bissau
  Pedro Pires diz que os guineenses têm sido defraudados pela classe política
  Cabo Verde: Dia da Mulher Africana celebrado esta sexta-feira
  São Tomé e Príncipe: Oposição reage à remodelação do Conselho de Administração do Banco Central

Comentários

Nome:

E-mail:

Comentário:



Hospedagem de Sites Low CostJornal Digital Cabinda Digital Luanda Digital Bissau Digital Jornal de São Tomé Timor DigitalCabo verde
Notícias no seu site Recrutamento Estatuto editorial Ficha técnica Contactos Publicidade Direitos autorais